Chuva sem pena

O homem, por mais q consiga adaptar o ambiente às suas necessidades, tem q respeitar a soberania da natureza e começar a tratá-la com mais respeito. Infelizmente, o resultado do desrespeito e exploração indevida já vem aparecendo no clima atual, resultando em destruição de patrimônio, cidades e vidas…

Quero deixar aqui meus sentimentos por todas as vítimas das chuvas de fim de ano: da pousada Sankai, do morro do Carioca, da baixada Fluminense, de Ilha Grande e Angra dos Reis, de São Paulo e de Contagem.

Tem uma poesia concreta do Arnaldo Antunes q fala sobre a chuva. Bela, forte, fria, boa, má, como qualquer outro fenômeno da natureza em cada circunstância:

A chuva derrubou as pontes. A chuva transbordou os rios.
A chuva molhou os transeuntes. A chuva encharcou as praças.
A chuva enferrujou as máquinas. A chuva enfureceu as marés.A chuva e seu cheiro de terra.
A chuva com sua cabeleira. A chuva esburacou as pedras. A chuva alagou a favela.
A chuva de canivetes. A chuva enxugou a sede. A chuva anoiteceu de tarde.
A chuva e seu brilho prateado. A chuva de retas paralelas sobre a terra curva.
A chuva destroçou os guarda-chuvas. A chuva durou muitos dias.
A chuva apagou o incêndio. A chuva caiu. A chuva derramou-se.
A chuva murmurou meu nome. A chuva ligou o pára-brisa. A chuva acendeu os faróis.
A chuva tocou a sirene. A chuva com a sua crina. A chuva encheu a piscina.
A chuva com as gotas grossas. A chuva de pingos pretos.
A chuva açoitando as plantas. A chuva senhora da lama.
A chuva sem pena. A chuva apenas. A chuva empenou os móveis.
A chuva amarelou os livros. A chuva corroeu as cercas.
A chuva e seu baque seco. A chuva e seu ruído de vidro.
A chuva inchou o brejo. A chuva pingou pelo teto. A chuva multiplicando insetos.
A chuva sobre os varais. A chuva derrubando raios. A chuva acabou a luz.
A chuva molhou os cigarros. A chuva mijou no telhado. A chuva regou o gramado.
A chuva arrepiou os poros. A chuva fez muitas poças. A chuva secou ao sol.

Que em 2010 o homem seja um pouco mais humilde e entenda q quem manda em nosso planeta é a natureza, e q ele aprenda a respeitá-la, como forma de preservação de si mesmo.

Anúncios

2 respostas em “Chuva sem pena

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s