Eu sou

Estou passando por um processo de mudança voltada p meu eu.

Depois de um bom tempo tendo q invadir meus valores e me convencer diariamente q eu poderia mudá-los, vi q a verdadeira Letícia ficou perdida em algum ponto do espaço. Então resolvi resgatá-la da poeira cósmica do meu insconsciente e voltei a ser do jeito q sou p ME agradar, e não p agradar ninguém. Sou e me assumi assim, e quando as páginas do meu livro da vida forem folheadas, é esta a Letícia q vcs encontrarão: autêntica com a própria alma, e isso é o q importa!

E hj, passeando pelos fantásticos Blogs aqui do WordPress, encontrei um post do Leão, q resolveu fazer um processo parecido com o meu. Deixo aqui alguns trechos soltos, o texto todo vc encontra aqui.

” passei tanto tempo não querendo magoar ninguém… e magoando ainda mais e percebi (percebo) que me magoei bastante no trajeto tentando ser quem não sou… tentando ser melhor… fui pior ainda… meu caminho eu trilho só. Sendo vc mesmo… apenas vc… vc saberá que, se alguém gosta de vc, é pq gosta de vc e não de alguém formatado, idealizado… se alguém amar vc… ama vc… se odiar… odeia vc.

Sim… somos atores… mas há personagens que não nos cai bem… não nos cabe… então, pq insistir em sê-los?”

“Tentando ser melhor, fui pior ainda”, então resolvi ser.. simplesmente eu.

E quem quiser goste de mim da forma que sou, e quem não gostar de mim, tudo bem, a gente nunca consegue agradar gregos e troianos ao mesmo tempo né? Bem vinda de volta, Letícia!!!

Versão 3.5

pesenti

Well well well…. Aqui estou eu, 35 anos!!

É isso aí, ontem completei + 1 jornada, +1 reveillón pessoal. Como diz meu chefe, minha nova versão: 3.5!!

Hoje uma colega disse q ela pensou q eu tivesse 27 anos…. Falei p ela q meu perfume foi feito no Egito, o mesmo q usaram em Tutankamon rs Mas na verdade acho q a essência da juventude está na alegria de viver. Tento viver da melhor maneira que posso, e meu sorriso é a minha melhor companhia. Talvez seja esse o motivo do meu nome: Letícia, ou Laetitia em latim, q significa felicidade, alegria.

Então… 35 anos! Muitas coisas q já fiz, mas tantas coisas q ainda quero fazer… A primeira: viajar p o Egito. Eu AMO mitologia egípcia… Depois… Grécia, para conhecer o labirinto do Minotauro, Ariadne, onde fez um caminho de fio p Teseu… E tantas outras histórias… Assim é a vida: a história após a história, às vezes um épico, às vezes um romance, às vezes um filme francês. O importante é q, na nossa história, nós somos o diretor e artista principal ao mesmo tempo.

Alguns filósofos dizem q a nossa vida muda a cada 7 anos … Se isso for verdade, eu estou entrando no meu 6º ciclo, ou melhor, no meu 6º ato!

Voltando ao presente, após uma longa comemoração, fico rindo dos comentários que minhas amigas estão fazendo das fotos q coloquei no orkut. E, ainda falando em presente, já curti os perfumes, os chocolates, as roupinhas e acessórios q ganhei, e ainda tem mais: ganhei um “vale-short” e vou com minha melhor amiga fazer compras mais tarde…

Afinal, nada melhor do que começar os 35 anos de pernas de fora!

O dia em que minha Terra parou

mummra

Antigos espíritos do mal…. Transformem essa forma decadente …. em MUN-HAAAAA!!!

Foi + ou – o q falei há uns meses atrás, quando a múmia Mun-ha tava + p Miss Universo comparado a como eu estava… Durante 5 meses a coisa andou feia p meu lado, + especificamente p o lado esquerdo. Tive cervicalgia, nucalgia, lombalgia… Na verdade foram tantas “gias” q em resumo foi uma  “leticialgia”. Brincadeiras à parte, o trem foi sério. Tão sério q fiquei 5 meses em recuperação e mesmo hj tenho q fazer umas adaptações p retomar meu lado canhoto de viver. Enfim, o Fantástico Mundo de Letícia estava tão agitado q acabou passando por um Armagedon e teve q parar. Como aquele filme, “O Dia em que (minha) Terra parou”.

Um breve resumo desses 5 meses de inferno astral: Meu lado esquerdo travou, minha coluna surtou e aprendi a conviver com a dor. Levei agulhada todo dia p fortalecer os músculos. Na alimentação, sem chocolates, refrigerantes, queijos amarelos, carnes defumadas ou enlatados em geral. Virei adepta de sucos naturais, minha mãe até ria, pois acordava doida p comer uma banana, ou chupar uma laranja. Uma raridade, p uma chocólatra… mas como diz o velho ditado, o hábito faz o monge. (Acho q é assim mesmo…). Sem TV, sem computador, sem vida social nem virtual, mas com muitos livros. Ainda bem q tenho livros. Quando não se tem + nada, a gente retoma os velhos hábitos das leituras lineares. Baltasar Gracián e Sun Tzu me deram a força de uma guerreira pruddente com seus aforismos, e meu querido Lacarmélio, quadrinista de BH, me alegrou com as histórias de seu herói Celton e suas façanhas pela cidade. Quanto à mente, sem stress, sem trabalho, sem enxaqueca. Às vezes com humor, às vezes sem, pq ninguém é de ferro.

Comprei um colchão novo, com densidade própria p meu problema. Aproveitei p levar um travesseiro tb, maravilhoso, com tecnologia da NASA. Já me imaginei no Google Mars. Ou Google Moon?? Enfim, “Um pequeno passo p o sono, um grande passo p uma coluna travada”.

Mas hj estou comemorando. Depois de tudo, são 5 meses sem enxaqueca. Estou 5 kg + magra, pele e cabelos + saudáveis. Hj voltei a trabalhar com algumas restrições, como horário reduzido, pausas p alongamentos e relax, mas  o importante é q estou de volta à ativa. Uma DDA ociosa ninguém merece… rsrs

O tratamento continua: hidroterapia, uma delícia. Indico p qualquer um, é um balé na piscina, vc sai reforçada e relaxada. O corpo ainda dói um pouco, mas já estou 90% melhor. Como disse p minha querida Acayrã, estou mesmo é só curando as coisas q meu corpo dizia e não prestei atenção.

Mas como nada na vida é por acaso, esse break serviu p eu pensar mais nas coisas q realmente valem à pena p mim, e fiz as pazes com o tempo. Aprendi a respeitar o momento das coisas, e o melhor, aprendi a me ouvir. Como diz o velho ditado, “há malas q vão p Belém”… Sei q depois de tudo q passei não vou poder + ser um esquilinho a la “deu a louca na chapeuzinho”, mas ainda posso viver meu conto de fadas em slow motion.

Quanto ao Fantástico Mundo, ele está de volta!

E chega desse balancinho aí embaixo p lá e p cá né??? rsrsrs

Sobre Letícia, Laetitia, Lái dì xī yà etc…

meu_nome

Adoro meu nome. Vira e mexe busco novos significados p ele. O essencial, LAETITIA, de origem latina, é ALEGRIA. Mas Letícia também é um bairro de Venda Nova (pertinho daqui de BH, tem até Copa Letícia de Futebol…), uma cidade da Colombia (Letícia’s Farc) e até um planeta descoberto em 1856 (parecido c 1356… será algum sinal? rsrsrs)

Pelo mundo, Letícia é Lái dì xī yà (Chinês), Rechishia (Japonês) e Litisia (Árabe). Na Terra Média, os Elfos costumam me chamar de Alassë. Quando fui p os EUA, eles não conseguiam soletrar o ditongo do meu nome (letícIA), então virei Leticha. Até na minha terrinha, Buenos Aires, Letícia se escreve com ‘z’, pois lá ele tem som de ‘c’. Como sou metade brasileira foi com ‘c’ mesmo, senão aqui me chamariam de Letízzia, igual pizza.

Mas o auge foi quando me teletransportei p o mundo de Cleópatra ao ver meu nome em Hieroglifo:

leticia_hieroglifo

Bom, nessa viagem onosmática, acabei encontrando o Blog da Mônica. Ela tem um post com um link p um site q analisa a essência do seu nome. Fui até lá, e vi q realmente sou meu nome em letras! Muito bacana, vale a pena conferir.

Depois de uma jornada “Letícia” pelo mundo, nada melhor q uma jornada interna de Letícia!